PIB brasileiro tem queda de 9,7% no 2º trimestre

A economia do Brasil registrou uma baixa de 9,7% nesse segundo semestre de 2020 comparando com os os três primeiros meses do ano. Esse registro foi um efeito da pandemia causada pelo coronavírus e, consequentemente, do isolamento social.

A divulgação de todos esses dados foi feita pelo IBGE nesta última terça-feira (01), a pesquisa afirma ainda que com essas quedas o PIB do Brasil acabou voltando para a mesma margem que estava em 2009, quando sofreu com as consequências da crise financeira global.

Comparando os valores com o segundo semestre de 2019, é possível ver uma baixa do PIB em 11,4%. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as duas taxas que foram analisadas estão representando as maiores retrações na economia brasileira desde 1996.

PIB brasileiro tem queda de 9,7% no 2º trimestre
Fonte: (Reprodução/internet)

Veja neste artigo outros dados que foram divulgados pelo IBGE.

Brasil entra em recessão

Por conta dos últimos dados fornecidos pelo IBGE, pode-se afirmar que o Brasil entra mais uma vez em recessão, termo utilizado por economistas para se referir a um período onde o país passa por dois trimestres seguido com queda no PIB.

“Ambas as taxas foram as quedas mais intensas da série, iniciada em 1996. No acumulado dos quatro trimestres terminados em junho, houve queda de 2,2% em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores”, informou o IBGE.

Vale lembrar que o número do Produto Interno Bruto (PIB) é resultado da soma de todos os serviços e bens produzidos no Brasil. Esse cálculo é feito para que se possa medir a evolução econômica do país. Falando em valores, o segundo trimestre brasileiro fechou o PIB com R$ 1,653 trhilão.

Na tabela abaixo é possível visualizar a variação do PIB nos anos anteriores:

PIB brasileiro tem queda de 9,7% no 2º trimestre
Fonte: (Reprodução/internet)

O governo e o mercado já esperavam

Por mais que o resultado seja preocupante, o mercado e o governo já estavam esperando que os dados seguissem por esse caminho já que a pandemia acabou durando mais tempo que o esperado. 

De acordo com um levantamento feito pelo G1, de 12 instituições financeiras que foram consultadas pelo jornal, 10 já estavam esperando que houvesse uma queda entre 8% a 10% do PIB brasileiro.